acessibilidade

Início do conteúdo da página

Fazenda Experimental


DSC00769.JPG

Fazenda Experimental de Ciências Agrárias - FAECA / Divisão de Serviços Agrários - DISA / REITORIA

COORDENADOR: Dr. Bruno Cezar Álvaro Pontim 

CHEFE DE DIVISÃO: Eng. Agr. Dr. Maximiliano Kawahata Pagliarini

TÉCNICOS:  Esp. Moacir Marreiro da Silva
                     Eng. Agr. Dr. Maximiliano Kawahata Pagliarini
                     Eng. Agr. Dra. Kamila de Almeida Monaco

AUXILIAR RURAL: José Carlos Nogueira

AUXILIAR OPERACIONAL: Luis Bernardo de Lima

OPERADORES DE MÁQUINA: Wander Verício Bispo 
                                                   Socrates Alves da Silva
                                                     

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA UNIDADE EXPERIMENTAL

LATITUDE: 22° 13´ 52,4495'' S
LONGITUDE: 54° 59´ 10,5372'' W
ALTITUDE:  411,75 m


CONTATO

Telefones: 3410-2554 (Secretaria Administrativa - Unidade 2)
                 3410-2705 (FAECA - Unidade Experimental)
                 99920-9312 (WhatsApp e Chamadas)


E-mail: faeca@ufgd.edu.br
Rodovia Dourados/Itahum, km 12 + 7 km + 3,8 km.
http://www.facebook.com/faecaufgd/

A FAECA

A Fazenda Experimental de Ciências Agrárias é um órgão suplementar criado por meio da Resolução COUNI n° 01 de 30 de Outubro de 2006 e implantado pela Portaria n° 106 de 28 de Março de 2007 cujo objetivo principal é o apoio às atividades de ensino, pesquisa e extensão de toda a comunidade acadêmica da UFGD.

A FAECA possui área de aproximadamente 294 ha, sendo 100 ha destinados aos fins a que se propõe sua utilização. O órgão conta, hoje, com diversas pesquisas nas mais diversas áreas das ciências agrárias dentro da fitotecnia e zootecnia. Pode-se citar trabalhos com as grandes culturas como soja, milho, feijão e produção de ovinos e bovinos. Além disso, os pesquisadores também desenvolvem trabalhos com plantas oleaginosas com ptencial para produção de biocombustíveis, rotação e sucessão de cultura, introdução de novas espécies vegetais com promissora adaptação ao clima da região, mecanização agrícola, adubação e fertilidade do solo, irrigação e fruticultura.

Em relação à produção animal a ovelha nativa, ou ovelha pantaneira, é o destaque da ovinotecnia em que as pesquisas se estendem a toda a cadeia produtiva, de forma a coletar dados que ajudem este setor a se destacar no estado. Os estudos simulam situações e analisam dados de confinamento, comparação entre pastagens, potencial da produção de leite e até estudos sobre os custos de produção.

Contamos com percerias importantes de outros órgão públicos como a Embrapa e possibilidade de convênios com empresas privadas que se interessam em testar seus produtos.

Em sua área restante, a FAECA tem a possibilidade de realizar produção própria de grãos para consumo interno, assim, a alimentação dos animais dos experimentos é garantida com as safras de soja e milho. A produção sobressalente é vendida por meio de leilões o que garante que parte do investimento feito pela UFGD volte à Universidade.

Ainda sobre a alimentação animal, a FAECA produz anualmente feno e silagem para complementação da alimentação dos animais nos períodos de pouca chuva, quando a pastagem não é suficiente. Isso significa que, salvo experimentos específicos de nutrição animal, a fazenda consegue disponibilizar alimentação durante todo o ano para os animais.



 


Fim do conteúdo da página