acessibilidade

Início do conteúdo da página

Fazenda Experimental


DSC00769.JPG

Fazenda Experimental de Ciências Agrárias - FAECA / Divisão de Serviços Agrários - DISA / REITORIA

COORDENADOR: Prof. Dr. Roberto Carlos Orlando 

CHEFE DE DIVISÃO: Eng. Agr. Dr. Maximiliano Kawahata Pagliarini

TÉCNICOS:  Esp. Moacir Marreiro da Silva
                     Eng. Agr. Dr. Maximiliano Kawahata Pagliarini
                     Eng. Agr. Dra. Kamila de Almeida Monaco

AUXILIAR RURAL: José Carlos Nogueira

AUXILIAR OPERACIONAL: Luis Bernardo de Lima

OPERADORES DE MÁQUINA: Wander Verício Bispo 
                                                   Socrates Alves da Silva
                                                     

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA UNIDADE EXPERIMENTAL

LATITUDE: 22° 13´ 52,4495'' S
LONGITUDE: 54° 59´ 10,5372'' W
ALTITUDE:  411,75 m


CONTATO

Telefones: 3410-2554 (Secretaria Administrativa - Unidade 2)
                 3410-2705 (FAECA - Unidade Experimental)
                 99920-9312 (WhatsApp e Chamadas)


E-mail: faeca@ufgd.edu.br
Rodovia Dourados/Itahum, km 12 + 7 km + 3,8 km.
http://www.facebook.com/faecaufgd/

HISTÓRIA

Desde 2007, a UFGD conta com uma Fazenda, com área de 294 hectares. Desses, 100 hectares são cultivados e neles são desenvolvidos diversos tipos de pesquisas, especialmente sobre produção de soja e de milho. Boa parte desses experimentos são conduzidos em parceria com a Fundação MS, com a Embrapa, além de outras instituições e empresas.

Na Fazenda Experimental, pesquisadores da UFGD estão analisando diferentes plantas oleaginosas, com potencial para produção de biocombustíveis e que podem ser usadas em sistemas de rotação, intercalando entre os cultivos de soja e milho. O objetivo dessas pesquisas é apontar quais plantas apresentam melhor potencial produtivo no solo e clima de MS.

Outro cultivo que tem ganhado espaço na Fazenda é a cana-de-açúcar, assim como áreas de pesquisa em espécies frutíferas – das mais comuns, como a manga, até espécies exóticas como a pitaia.

PECUÁRIA

A ovelha nativa, ou ovelha pantaneira, é outro objeto de estudos que está sendo pesquisado na Fazenda Experimental da UFGD. São cerca de 70 ovelhas nativas na Fazenda, mas, as pesquisas se estendem a toda a cadeia produtiva, de forma a coletar dados que ajudem este setor a se destacar no estado. Na Fazenda, pesquisadores simulam situações e analisam dados de confinamento, comparação entre pastagens, potencial da produção de leite e até estudos sobre os custos de produção.

Há, ainda, estudos sobre maquinário agrícola, adubação e fertilidade de solo, sistemas de irrigação, agricultura de precisão, entre outros. Nas áreas onde não há cultivo na Fazenda, há estudos sobre recomposição de matas com espécies nativas, sobre conservação e manejo de recursos naturais renováveis, e outras atividades relacionadas a meio ambiente.

Os resultados dessas pesquisas vêm sendo apresentados em visitas técnicas e eventos abertos para toda a comunidade, como o Dia de Campo.​

 


Fim do conteúdo da página