acessibilidade

Início do conteúdo da página

Junho
02
2022

Projetos da UFGD contribuem para a sustentabilidade da APA Baía Negra

  Atualizada: 02/06/2022

A universidade está articulando recursos municipais e estaduais para ampliar as ações e colaborar para o desenvolvimento econômico, social e ambiental da região pantaneira

 

ufgd

A visita mais recente foi feita pelos participantes da projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), por meio da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (PROEX), está empenhando-se para ampliar a quantidade de projetos realizados na base de estudos que fica na Área de Proteção Ambiental (APA) Baía Negra, no município de Ladário.

Para viabilizar novas ações, além do financiamento que a UFGD destina aos projetos de extensão, a PROEX está articulando recursos municipais, estaduais e federais, por meio de convênio com a Prefeitura de Ladário, assinado em 15 de fevereiro, da candidatura de projetos guarda-chuva para obter financiamento da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) e de emenda parlamentar federal no valor de R$ 150 mil. Por enquanto, dois projetos estão como guarda-chuva (macroprojeto), "Corredor Científico, Cultural e Tecnológico de Mato Grosso do Sul” e “Núcleo de Estudos Extensionistas Baía Negra”, coordenados pela pró-reitora de Extensão e Cultura, Gicelma Chacarosqui.

A base de estudos oferece condições de hospedagem para os servidores e estudantes da universidade que irão realizar pesquisas ou ações de extensão direcionadas à comunidade. Uma sala de tecnologia está sendo estruturada pela PROEX no local. Oito computadores foram recentemente levados para a base e agora a pró-reitoria está buscando viabilizar serviço de internet. A intenção é conectar ainda mais a UFGD com a comunidade e possibilitar condições para a realização de cursos a distância que estão em fase de planejamento e articulação de parcerias.

O movimento de atração de pesquisadores da UFGD para o desenvolvimento de novos projetos na base de estudos foi intensificado em 2021, com expedições para apresentar as características da área, as necessidades da comunidade local e as potencialidades da APA. De lá pra cá, oito projetos colocaram a Baía Negra entre seus objetivos e são coordenados pelos professores: Denise Silva (FACALE), Enrique Duarte Romero (FACE), Gicelma da Fonseca Chacarosqui Torchi (FACALE), Jairo Campos Gaona (FCBA), Joelson Gonçalves Pereira (FCBA), Marcio Eduardo de Barros (FCS) e Sheila Nogueira de Oliveira (FCA).

As ações envolvem diferentes áreas, buscando a sustentabilidade defendida pela Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, lançados pela Organização das Nações Unidas (ONU): gestão ambiental, educação ambiental, agroecologia, segurança alimentar, geração de renda, gestão de resíduos, plantio e cultivo de plantas, viabilidade econômica de produtos, comercialização de produtos, cidadania, literatura, didáticas educacionais, promoção de saúde, entre outros.

Conheça dois dos oito projetos:

DIAGNÓSTICO E PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO

ufgd

Pescadora Sarlidei Pena Machado conduziu os participantes do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo (...)” para os locais de pesca e coleta de isca
 

A visita mais recente, nos dias 30 de abril e 1º de maio, foi feita pelos estudantes e professores da UFGD que estão levantando as demandas da comunidade que vive da venda de peixes e de iscas e iniciando as análises sobre a água e as matas ciliares do rio Paraguai. Eles desenvolvem atividades relacionadas ao projeto de extensão “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”, coordenado pela professora do curso de Engenharia de Aquicultura (FCA), Sheila Nogueira de Oliveira.

Os ribeirinhos contam que muita coisa mudou na região, na vegetação e nos rios, que a quantidade de isca e de peixes tem diminuído, que algumas espécies não são mais encontradas e que espécies consideradas invasoras têm aparecido.

A partir das informações sobre a água, produzidas pelo grupo de estudos do Laboratório de Ecotoxicologia e Genotoxicidade (Lecogen) da UFGD, coordenado pela professora Alexeia Barufatti (FCBA), e as respostas ao questionário sobre a realidade local, o projeto irá propor algumas ações sustentáveis de apoio, para que possam ter melhores condições nas expedições de pesca e coleta de isca, bem como em outras atividades que poderão melhorar a capacitação técnica e a renda das famílias.

CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

ufgd

Dia de Campo em Agroecologia pra implantação da horta agroecológica na posse da dona Catarina, com apoio da Rede Integrada de Hortas Urbanas de Dourados
 

Outro projeto bem articulado com as solicitações da comunidade é o de “Cidadania e Sustentabilidade na APA Baía Negra”, iniciativa de estudantes e professores da Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais (FCBA), sob a coordenação do docente Joelson Gonçalves Pereira e desenvolvido através de parceria com a Associação de Mulheres Produtoras da APA Baía Negra.

Em 2021, entre as diversas ações do projeto, foram realizadas a campanha de arrecadação de embalagens de vidro em prol da associação de mulheres, para envasilhar os doces artesanais em compotas; o dia de campo em agroecologia para implantar duas unidades demonstrativas de horta agroflorestal com propósito de gerar renda e colaborar com a subsistência da comunidade; a capacitação e orientação à prática da educação ambiental por meio de mutirão para limpeza com acondicionamento e destinação adequada de resíduos, e a triagem para georreferenciamento dos cadastros de Termo de Autorização de Uso Sustentável (TAUS).

Também foram produzidos diferentes materiais de divulgação para difundir as características geoambientais e potencialidades da APA, fomentar o turismo científico, promover a base de estudos junto à comunidade acadêmica, visando a motivação de novos projetos de pesquisa, extensão e ensino e, ainda, por solicitação da associação de mulheres, um material específico foi elaborado para mostrar as atividades do projeto Bistrô Arte Sana, realizadas na cozinha comunitária da associação.

Outro resultado do projeto foi o trabalho de conclusão de curso intitulado “Monitoramento da recuperação da vegetação na APA Baía Negra”, de João Marcelo Costa dos Santos, da graduação em Gestão Ambiental, que mapeou em escala de semi detalhe as áreas queimadas no interior da APA Baía Negra, no ano de 2020, assim como as causas que motivaram o evento e o processo de recuperação da área.

De acordo com o coordenador do projeto, novas demandas surgiram durante o desenvolvimento do projeto em 2021. Por isso, no segundo semestre de 2022, continuando a parceria com a Associação de Mulheres Produtoras da APA Baía Negra, as atividades serão focadas na ampliação da implantação de hortas agroecológicas, na orientação sobre comercialização de produtos, na realização de oficina para produção de embutidos artesanais à base de peixe, no oferecimento de curso para cultivo de plantas ornamentais e na organização de uma feira das mulheres produtoras da APA, que poderá acontecer na sede da Base de Estudos Baía Negra/UFGD.

QUERO REALIZAR AÇÕES NA BAÍA NEGRA

Parte do município de Ladário fica localizado da APA Baía Negra, que é reconhecida como uma Unidade de Conservação de Uso Sustentável no Pantanal. Dentro dessa APA vivem aproximadamente 50 famílias ribeirinhas e camponesas, buscando conciliar suas atividades agrícolas e de pesca com o meio ambiente.

Os interessados em desenvolver pesquisas e projetos de extensão na base de estudos Baía Negra precisam fazer reserva junto à PROEX, através do Termo de Ciência e Responsabilidade, e precisam cumprir o Regulamento para Utilização da Infraestrutura das Bases de Estudo da UFGD. Esses documentos estão publicados em: https://portal.ufgd.edu.br/pro-reitoria/proex/bases-de-estudos.

Além da Baía Negra, a universidade possui outras duas bases de estudos, uma no assentamento Itamarati, em Ponta Porã, e outra no Forte Coimbra, em Corumbá.

Jornalismo ACS/UFGD

 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 

ufgd

Atividade do Lecogen com o projeto “Diagnóstico e planejamento participativo para leitura da realidade de ribeirinhos e pescadores da APA Baía Negra”. Foto: Ricardo Zanella ACS/UFGD
 


 

ufgd

Dia de Campo em Agroecologia, promovendo a implantação da horta na Base da UFGD, pelo projeto “Cidadania e Sustentabilidade na APA Baía Negra”
 

ufgd

Entrega à Associação de Mulheres Produtoras da APA, dos vasilhames doados pela comunidade da UFGD, durante a campanha de arrecadação realizada pelo projeto “Cidadania e Sustentabilidade na APA Baía Negra”
 

ufgd

Organização de cadastros para elaboração de TAUS georreferenciados dos moradores da APA Baía Negra, pelo projeto “Cidadania e Sustentabilidade na APA Baía Negra”