acessibilidade

Início do conteúdo da página

Janeiro
23
2023

Professor da UFGD lança livro Vidas Machucadas - História Oral Aplicada

  Atualizada: 23/01/2023

São cinco histórias que têm em comum a dor e o recomeço

Acaba de ser lançado, pela editora Contexto, o livro Vidas Machucadas – História Oral Aplicada, de Leandro Seawright, professor da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). A publicação contou com o apoio do Programa de Apoio à Pesquisa da universidade.

A obra parte da reflexão sobre como se sente alguém com seus direitos violados ou que vive sob agressões e ameaças frequentes. Cinco histórias são apresentadas para ajudar a responder a essas questões: Gleice é policial militar aposentada; Mário, imigrante venezuelano; Merina, indígena da etnia Kaiowá; Marco Antonio, procurador da República, protetor dos direitos de povos tradicionais; e Márcia, que assim como tantas outras pessoas, teve a vida alterada em consequência da covid-19.

De acordo com o autor, os leitores podem esperar histórias envolventes com temas difíceis de serem enfrentados por pesquisadores convencionais, com franqueza, singeleza e sofrimento. Os narradores são pessoas muito diferentes que, sem se conhecerem, têm em comum a desventura, assim como o recomeço. Leandro explica que o livro não é sobre vítimas, “pelo contrário, é sobre como as pessoas cataram os cacos e repactuaram a existência por meio da sobrevivência. Quem quiser entender como problematizei o conceito de vítima, propondo a sobrevivência como chave analítica, precisa ler a obra”, explica.

Além do trabalho feito em cima de uma escuta sensível e que priorizou a soberania narrativa daqueles que contaram suas vidas (as histórias estão publicadas na íntegra, como foram narradas), Leandro faz análises a partir das questões apresentadas pelos entrevistados com conceitos apropriados da História, da Sociologia, da Filosofia e dos Direitos Humanos. O professor explica, ainda, que as pesquisas de história oral, na perspectiva que adota, não servem apenas como documentos para importantes acervos ou bancos de histórias, mas para a promoção de políticas públicas e defesa dos direitos humanos de comunidades afetadas. “A obra é parte da devolução social, isto é, não somente documenta o sofrimento e investiga sua natureza mais profunda, mas também se ocupa de pensar no refazimento das trajetórias sem prescindir da defesa de grupos atingidos”, defende o autor.

SOBRE O LIVRO

A obra pode ser encontrada em diversas livrarias e também no site da Editora Contexto: https://www.editoracontexto.com.br/produto/vidas-machucadas-historia-oral-aplicada/5396391.

Para quem tiver interesse em ler um trecho do livro, acesse: Leiaumtrecho-Vidasmachucadas.pdf (dropbox.com).

Vidas Machucadas – História Oral Aplicada foi prefaciado por Michel Maffesoli, professor emérito da Sorbonne (Universidade de Paris), que ocupou a cadeira do sociólogo Émile Durkheim.

A publicação do livro recebeu auxílio do Programa de Apoio à Pesquisa da UFGD (PAP) no valor de R$ 5 mil. O orçamento total do edital foi de R$ 160 mil, com objetivo de expandir as atividades de pesquisa, ampliar a produção científica de qualidade e fortalecer os Programas de Pós-graduação da universidade.

SOBRE O AUTOR

Leandro Seawright fez doutorado no Departamento de História da Universidade de São Paulo – FFLCH/USP, quando foi orientado por um dos introdutores da história oral no Brasil: José Carlos Sebe Bom Meihy. Coordenou o Núcleo de Estudos em História Oral – NEHO/USP, que, com mais de 30 anos de funcionamento, é um dos grupos mais antigos da FFLCH/USP. Atualmente, integra a International Oral History Association (IOHA) e a diretoria da Associação Brasileira de História Oral (ABHO). Ao lado de Meihy, avançou na construção da teoria e da metodologia da história oral, tendo escrito, com ele, a obra Memórias e Narrativas: História Oral Aplicada.


 

Vidas Machucadas 1
Cinco histórias que se cruzam, sobre dor e recomeço
 

Vidas Machucadas 12

 




    Fotos