acessibilidade

Início do conteúdo da página

Promoção à Saúde

O QUE É CORONAVÍRUS? (COVID-19)
Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).
A epidemia mundial do SARS-COV-2, o NOVO CORONAVÍRUS responsável pela doença COVID-19, exige de todos comprometimento com a saúde pública.
Por isso a PROGESP/UFGD, na mesma lógica das campanhas que desenvolve em seus informativos de saúde (como dengue, influenza e etc.), no intuito de levar informação a toda comunidade acadêmica, traz um compilado de informações sobre este novo vírus que demandas cuidados individuais e coletivos pelo risco de epidemia. As orientações são relevantes, tanto para evitar a negligência como o pânico desnecessário, pois na universidade circulam, diariamente, centenas de pessoas entre estudantes, servidores públicos e terceirizados, além da comunidade que frequenta os espaços e eventos da instituição.
DIAGNÓSTICO CLÍNICO
O quadro clínico inicial da doença é caracterizado como síndrome gripal, no entanto, casos iniciais leves, subfebris, podem evoluir para elevação progressiva da temperatura e a febre ser persistente além de 3-4 dias, ao contrário do descenso observado nos casos de Influenza. O diagnóstico depende da investigação clínico epidemiológica e do exame físico.
O QUE FAZER DIANTE DOS SINTOMAS?
- Se você é o paciente:
● Como em toda virose, é recomendável seguir uma conduta ética para evitar a transmissão de possíveis vírus. Em casos leves de gripe, sem fatores de risco, sem suspeita de Covid-19:
• Opte pelo cuidado e tratamento domiciliar para evitar sobrecarregar os serviços de saúde e prejudicar o atendimento de quem realmente precisa;
• Se possível, não frequentes locais públicos. Em casos suspeitos de Covid-19:
• Não frequente aulas, local de trabalho, eventos ou espaços públicos;
• Utilize máscara cirúrgica e reduza contato com familiares. Em caso de febre, tosse ou dificuldade em respirar, procure a assistência médica em serviços de saúde, preferencialmente da rede SUS, o mais rapidamente possível.
- Se você é estudante ou profissional da saúde:
Duplo cuidado para a identificação e contenção de possíveis casos. Como os sintomas iniciais de infecção respiratória podem ser inespecíficos, recomenda-se o reforço das precauções padrão, o que inclui medidas de higiene das mãos, de uso de máscaras e outros equipamentos de proteção individual. É importante garantir que esses equipamentos estejam sempre disponíveis nos locais de atendimento à população!
O QUE POSSO FAZER PARA ME PROTEGER E EVITAR TRANSMITIR PARA OUTRAS PESSOAS?
• Lave as mãos com água e sabão ou higienizador à base de álcool, para matar vírus que podem estar nas suas mãos.
• Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre você e qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando. Quando alguém tosse ou espirra, pulveriza pequenas gotas líquidas do nariz ou da boca, que podem conter vírus. Se você estiver muito próximo, poderá inspirar as gotículas – inclusive do vírus da COVID-19 se a pessoa que tossir tiver a doença.
• Evite tocar nos olhos, nariz e boca. As mãos tocam muitas superfícies e podem ser infectadas por vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz ou boca. A partir daí, o vírus pode entrar no corpo da pessoa e deixá-la doente.
• Certifque-se de que você e as pessoas ao seu redor seguem uma boa higiene respiratória. Isso signifca cobrir a boca e o nariz com a parte interna do cotovelo ou lenço
quando tossir ou espirrar (em seguida, descarte o lenço usado imediatamente). Gotículas espalham vírus. Ao seguir uma boa higiene respiratória, você protege as pessoas ao seu redor contra vírus responsáveis por resfriado, gripe e COVID-19.
• Fique em casa se não se sentir bem. Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico. Siga as instruções da sua autoridade sanitária nacional ou local, porque elas sempre terão as informações mais atualizadas sobre a situação em sua área.
• Pessoas doentes devem adiar ou evitar viajar para as áreas afetadas por coronavírus. Áreas afetadas são países, áreas, províncias ou cidades onde há transmissão contínua – não áreas com apenas casos importados.
• Os viajantes que retornam das áreas afetadas devem monitorar seus sintomas por 14 dias e seguir os protocolos nacionais dos países receptores; e se ocorrerem sintomas, devem entrar em contato com um médico e informar sobre o histórico de viagem e os sintomas.

MINISTÉRIO DA SAÚDE

https://portalarquivos2.saude.gov.br/campanhas/coronavirus/

 

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE

https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019

 

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:folha-informativa-novo-coronavirus-2019-ncov&Itemid=875

 

SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DE MATO GROSSO DO SUL

http://www.saude.ms.gov.br/covid-19/





CORONAVíRUS11111

111
 

 


 

 


 


Fim do conteúdo da página