-A A +A

Publicações


az do PPGH-UFGD.jpg

Esta coletânea começou a ser concebida durante a organização do III Simpósio Internacional sobre Religiosidades, Diálogos Culturais e Hibridações, realizado em abril de 2009. Na ocasião, vários intelectuais debateram um elenco de questões teóricas e metodológicas importantes para o avanço dos estudos interdisciplinares e das pesquisas sobre religiões, religiosidades, identidades, diálogos culturais e hibridações. Os artigos refletem preocupações recentes do debate acadêmico e apresentam uma abordagem plural e rica em conteúdos. Revelam que os estudos dos fenômenos religiosos são oportunos e atuais e que sempre haverá muito a estudar sobre esses campos. O desafio é iluminar, sob novos ângulos, questões e problemas de nosso tempo, sem excluir o prazer da leitura. Ano de publicação: 2012

 
A coletânea de textos é o resultado de um árduo trabalho de pesquisadores(as) da UFGD e de outras instituições brasileiras e estrangeiras sobre o tema. Os textos demonstram um acúmulo de conhecimento e amadurecimento de diversas metodologias convergentes das ciências humanas e áreas afins. Representam ainda as amplas possibilidades de divulgação do conhecimento e de ações que poderão ser desencadeadas, ao longo do tempo, sob o sopro bem-aventurado de nossa parceria com a UNESCO, por meio da Cátedra “Diversidade Cultural, Gênero e Fronteiras”. Quando lemos, vislumbramos veredas e, por elas, imaginamos criticamente o possível da vida social. Ano de publicação: 2013

 
Esta obra apresenta reflexões sobre a educação e sua vinculação aos movimentos sociais e às temáticas de gênero. O estudo busca, inicialmente, uma compreensão acerca das ações e reflexões de atores/as sociais imbuídos de sua prática educativa. Procura-se explorar a diversidade identitária dos sujeitos, a transversalidade nas demandas por direitos, as formas de ativismo e de empoderamento através de articulações em redes de ações e de conhecimentos e, finalmente, a afirmação das práticas pedagógicas em prol de uma educação emancipatória e significativa. Ano de publicação: 2009
  
As mulheres trabalhadoras rurais que guardam a história, que a contam a seus filhos e filhas, mostram uma longa vida em que as mesmas, para não falar de outras dicotomias, tiveram que enfrentar permanentemente a desigualdade, embora nunca tenham se submetido completamente a isso. Submissão e resistência sempre fizeram parte da vida das mulheres. O presente trabalho apresenta uma análise histórica e teórica desenvolvida durante a implementação do projeto Educação para os Direitos das Mulheres Trabalhadoras Rurais, realizado na região noroeste do estado do Rio Grande do Sul, voltado à pesquisa e à formação, envolvendo grupos de mulheres trabalhadoras rurais, descendentes de imigrantes, nos temas referentes a histórias de vida, gênero e direitos reprodutivos. Ano de publicação: 2014 
 
Pesquisar, escrever, visibilizar uma história das mulheres é um empreendimento relativamente novo e revelador de uma profunda transformação: está vinculado diretamente à concepção de que as mulheres têm uma história e não são apenas destinadas à reprodução, que elas são agentes históricos e possuem uma historicidade relativa às ações cotidianas das relações entre os sexos. Ambiciosa, e necessária, com certeza esta pesquisa tem se desenvolvido no mundo ocidental há mais de quarenta anos. Com efeito, há uma teoria e uma historiografia da história das mulheres a partir das quais se pode elaborar os primeiros balanços críticos e se questionar sobre o sentido, as dificuldades, os efeitos destas. A presente obra é apenas um grão de areia no mar da história das mulheres. Ano de publicação: 2012
 
Assentado nos campos da antropologia sociocultural e da arqueologia, o livro apresenta textos científicos que discutem dos laudos antropológicos às festividades populares. Os ensaios foram elaborados dentro de três eixos norteadores: cosmologia, territorialidade e antropologia em aplicação. Contando com a participação de quinze pesquisadores dos campos da arqueologia e da antropologia procedentes de seis diferentes países do contexto ibero-americano, a presente obra reflete o esforço de uma rede de saberes e cooperação científica que tem na Universidade Federal da Grande Dourados um de seus epicentros. Ano de publicação: 2010
 
O livro trata da repressão política em Aquidauana/MT – hoje Mato Grosso do Sul –, enfocando o Golpe militar de 1964 e seus desdobramentos. Traz análise da Repressão, da Justiça e da Utopia Comunista na cidade, cuja localização próxima à fronteira Brasil/ Paraguai refletiu nas questões do golpe num passado histórico. Para construção dessa interpretação, o autor lançou mão de fontes escritas e orais. O texto foi apresentado no formato de Dissertação de Mestrado ao programa de Pós-graduação em História e Sociedade da Unesp/Assis, no ano de 1994. Ano de publicação: 2009
 
A história das mulheres oscilou entre sistemas muito variados de exclusão, de tolerância e de banalização. Colocá-los em evidência responde a um duplo objetivo: o de permanecer crítico com respeito às formulações próprias à história das mulheres; e o de questionar a necessária relação entre este campo de estudos e o conjunto da pesquisa histórica. Mas a história não é somente produção de saber, é também formulação de perguntas. As questões que suscita e que lhe são propostas são também um campo específico de pesquisa, espaço de reflexão e de desconstrução de certas “verdades” na historiografia. O desenvolvimento da História Oral permitiu uma mudança de enfoque nos trabalhos históricos, quebrando uma visão rígida da objetividade do fato histórico, abrindo a possibilidade de recuperação de maneiras diversas de viver a história, conforme o gênero, a idade, o sexo, a classe. Ano de publicação: 2014
 
Este livro traz uma importante contribuição para o estudo da mística do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, ao longo de sua história, pelo autor ter o cuidado em apresentá-la como um dos fundamentos que sustentam as práticas e representações deste Movimento. A discussão se baseia tanto na abordagem dos referenciais teóricos inspirados na Teologia da Libertação quanto no modo como o próprio MST a trabalha em suas publicações e a produz em suas práticas, desde os primeiros Cadernos de Formação, entre outras fontes. Mas a contribuição desta obra não se limita à discussão da ação pastoral ou das publicações do Movimento, pois possibilita apreender os camponeses em sua diversidade e em meio às lutas, na sua mais ampla concepção, ao olhar para o desenho dos sem-terra e o seu desdobramento no cenário nacional. Ano de publicação: 2014



CALENDÁRIO
UFGD - Unidade 1
Rua João Rosa Góes, 1761 - Vila Progresso, Cx. Postal 322 - CEP 79825-070
67 3410-2002

UFGD - Unidade 2
Rodovia Dourados - Itahum, Km 12 - Cidade Universitaria, Cx. Postal 533 - CEP 79804-970
67 3410-2001

Este Sítio Web é acessível via IPv6!