-A A +A

Programas



Sobre o Ciência sem Fronteiras

Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.
O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no Programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.

No Programa Ciência sem Fronteiras, as áreas contempladas são:
  • Engenharias e demais áreas tecnológicas;
  • Ciências Exatas e da Terra;
  • Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
  • Computação e Tecnologias da Informação;
  • Tecnologia Aeroespacial;
  • Fármacos;
  • Produção Agrícola Sustentável;
  • Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
  • Energias Renováveis;
  • Tecnologia Mineral;
  • Biotecnologia;
  • Nanotecnologia e Novos Materiais;
  • Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
  • Biodiversidade e Bioprospecção;
  • Ciências do Mar;
  • Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
  • Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
  • Formação de Tecnólogos.
 
Informações completas sobre o Programa CsF encontram-se disponíveis em www.cienciasemfronteiras.gov.br.
Fonte: www.cienciasemfronteiras.gov.br


PEC-G - Programa de Estudantes-Convênio de Graduação
 
O Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G) oferece oportunidades de formação superior a cidadãos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais. Desenvolvido pelos ministérios das Relações Exteriores e da Educação, em parceria com universidades públicas - federais e estaduais - e particulares, o PEC-G seleciona estrangeiros, entre 18 e 25 anos, com ensino médio completo, para realizar estudos de graduação no país.

O aluno estrangeiro selecionado cursa gratuitamente a graduação. Em contrapartida, deve atender a alguns critérios; entre eles, provar que é capaz de custear suas despesas no Brasil, ter certificado de conclusão do ensino médio ou curso equivalente e proficiência em língua portuguesa, no caso dos alunos de nações fora da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).
São selecionadas preferencialmente pessoas inseridas em programas de desenvolvimento socioeconômico, acordados entre o Brasil e seus países de origem. Os acordos determinam a adoção pelo aluno do compromisso de regressar ao seu país e contribuir com a área na qual se graduou.
 
A Inscrição
A inscrição deve ser feita junto às missões diplomáticas brasileiras ou repartições consulares. A data é definida pelo Ministério das Relações Exteriores.
 
Processo Seletivo
Os candidatos de países que não aplicam o CELPE-BRAS, após a Seleção do  PEC-G serão submetidos ao curso de português para estrangeiros e ao exame CELPE-BRAS (apenas uma vez) no  Brasil. A certificação no exame de proficiência em língua portuguesa é condição fundamental para o ingresso na Instituição de Ensino Superior e no Programa de Estudantes-Convênio de Graduação.
 
Pré–seleção
A pré-seleção dos candidatos é feita pelas missões diplomáticas brasileiras que encaminham a relação dos candidatos à (DCE/DCT/MRE).
Para a pré-seleção é necessária a apresentação dos seguintes documentos: declaração de compromisso, histórico escolar do ensino médio, comprovante de capacidade econômica dos pais e responsáveis, acompanhado da declaração de conclusão. Todos eles, com exceção do primeiro, com a devida autenticação do consulado brasileiro. Também é necessária a aprovação no Celpe-Bras para os candidatos não lusófonos.
 
Seleção Final
A Divisão de Temas Educacionais DCT/MRE e a Coordenação-Geral de Relações Estudantis SESu/MEC, assessoradas por uma comissão indicada pelo Fórum de Pró-Reitores de Graduação das Universidades Brasileiras; Fórum das Assessorias das Universidades Brasileiras para Assuntos Internacionais e Fórum Nacional dos Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis nos termos da Portaria SESu/MEC Nº 510, de 21 de agosto de 2006, fazem a seleção final, em Brasília. Os resultados são divulgados pelas missões ou representações diplomáticas.

Para mais informações, acesse: http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=530%26id=12276%26option=com_content%26view=article
 
Fonte: Ministério da Educação


PEC-PG - Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação


Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação - PEC-PG, administrado conjuntamente pelo Departamento Cultural (DC) do Ministério das Relações Exteriores (MRE), pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), constitui atividade de cooperação educacional exercida com países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém Acordo de Cooperação Educacional, Cultural ou de Ciência e Tecnologia.

Objetivando constituir atividade de cooperação educacional com países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordo de Cooperação Educacional, o Programa prioriza os países que apresentem candidatos no âmbito de programas nacionais de desenvolvimento sócio-econômico, acordados entre o Brasil e os países interessados, por via diplomática.

O PEC-PG contribui para a formação de recursos humanos, por meio da concessão de bolsas de mestrado (até 24 meses) e doutorado (até 48 meses) para realização de estudos de estudantes estrangeiros em Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras que emitam diplomas de validade nacional, em programas de Pós-Graduação com nota igual ou superior a 03 (três), segundo classificação estabelecida pela CAPES.

O Programa visa ainda ao aprimoramento da qualificação de professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados do ensino superior que possam contribuir para o desenvolvimento de seus países.

O processo seletivo para participação no Programa é regulado por edital específico publicado anualmente e coordenado pela CAPES.


PFCM - Programa de Incentivo à Formação Científica de Estudantes de Cabo Verde, Angola e Moçambique

O Programa de Incentivo à Formação Científica de Estudantes de Cabo Verde, Angola e Moçambique (PFCM) busca, no âmbito da Iniciação Científica, e de acordo com as disponibilidades orçamentárias do Ministério das Relações Exteriores e da CAPES, projetos de execução anual, que possibilitem estudantes de graduação de Cabo Verde, Moçambique e Angola realizarem estágios com bolsas de estudos em áreas de pesquisa mutuamente acordadas em universidades brasileiras durante o período das férias acadêmicas.
 
Objetivo do Programa:

Contribuir para formação de recursos humanos para atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação em Cabo Verde, Moçambique e Angola, estimulando vocações científicas na comunidade universitária; proporcionar a apresentação de atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação produzidas em Universidades Federais Brasileiras; estimular a aproximação de formação teórica às realidades de aplicação prática e fomentar a cooperação bilateral entre os países envolvidos e o Brasil.
 
Requisitos do Candidato:
  • Ser cidadão de um dos países contemplados pelo Programa, sem dupla nacionalidade;
  • Não possuir visto permanente no Brasil,
  • Haver concluído o primeiro ano do curso universitário e apresentar excelente desempenho acadêmico;
  • Não haver concluído o curso universitário nem estar no último ano do curso;
  • Não ter vínculo com nenhuma instituição empregadora e dedicar-se as atividades Universitárias
 
Submissão das Candidaturas:

As inscrições devem ser feitas através do preenchimento do Formulário de inscrição a ser obtido no Portal do Ministério da Ciência e Tecnologia – Formulário de Bolsas – Iniciação Científica. As candidaturas deverão ser enviadas ao Ministério da Ciência e Tecnologia através da Instituição de Ensino Superior do estudante.

Os candidatos deverão ainda submeter junto os seguintes documentos:
  • Cópia do passaporte válido;
  • Certificado médico de saúde emitido preferencialmente por instituições de saúde pública;
  • Fotocópia autenticada do bilhete de Identidade ou certidão de nascimento do candidato;
 
Quais são os órgãos envolvidos no Brasil?

- O Ministério das Relações Exteriores é o responsável pelo custeio e emissão das passagens aéreas para que os alunos possam vir ao Brasil.
- A CAPES é a responsável pela liberação dos recursos para o pagamento da bolsa de iniciação científica e de despesas com acomodação e alimentação dos alunos;
- As universidades brasileiras que demonstrarem interesse no Programa receberão os alunos para ocupar vagas em cursos e ter acesso a laboratórios e a sua estrutura acadêmica. Além disso, deverão colaborar com a manutenção do Programa, oferecendo alojamentos e acesso aos Restaurantes Universitários, quando possível. Por fim, é responsabilidade da Universidade a recepção dos alunos no aeroporto quando de sua chegada e o transporte até o aeroporto quando de sua partida.

A UFGD recebe estudantes pelo Programa PFCM desde 2009.

Para informações detalhadas sobre o PFCM, entre em contato com o Departamento da África do Ministério das Relações Exteriores (DEAF/MRE) - http://www.itamaraty.gov.br/o-ministerio/conheca-o-ministerio/organograma/subsecretaria-geral-politica-ii/deaf-departamento-da-africa


Programa IAESTE
 
O Programa de Estágio Profissional da IAESTE (International Association for the Exchange of Students for Technical Experience) promove intercâmbio entre estudantes em mais de 90 países. Através da IAESTE, o estudante pode passar de 2 a 12 meses fazendo estágio na sua área de estudo e recebendo remuneração suficiente para cobertura de suas despesas básicas com alojamento e alimentação. No Brasil, o programa é gerenciado pela ABIPE - Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil, entidade sem fins lucrativos que possui parceria com a UFGD, facilitando assim o recebimento de estudantes estrangeiros em nossa Universidade e apoiando o estágio profissional de alunos UFGD no exterior.

O Programa IAESTE não engloba a parte acadêmica, ou seja, proporcionará ao aluno apenas uma carga horária de estágio em sua área de atuação (normalmente 6 horas/dia). Portanto, o aluno UFGD em estágio no exterior por meio do Programa IAESTE não cursará disciplinas, mas sim atuará profissionalmente na sua aérea de formação em empresas e instituições de ensino que façam parte do programa.

As inscrições para participar do Programa IAESTE devem ser feitas diretamente pelo site da ABIPE (http://www.abipe.org.br/) e os alunos da UFGD interessados devem ter idade entre 18 e 28 anos, estarem devidamente matriculados em um curso de graduação, pós-graduação ou especialização, e ter no mínimo nível intermediário em outro idioma. Os estudantes com conhecimento exclusivo dos idiomas português ou espanhol terão oportunidades restritas aos países que falam estes idiomas. Para os demais, o bom conhecimento de línguas como alemão, francês e, principalmente, inglês ampliam as chances de sucesso na escolha do estágio.

O suporte aos estudantes interessados neste programa pode ser obtido tanto na sede da ABIPE em São Paulo (11 3262-4012) como em toda rede de lojas CI (http://www.ci.com.br/).

Para mais informações sobre o Programa de Estágio da IAESTE, acesse:http://www.abipe.org.br/site/estudantes/programaiaeste.php.

Fonte: ABIPE/IAESTE


Programa de Apadrinhamento Voluntário de Alunos Estrangeiros
 
O Programa de Apadrinhamento Voluntário de Alunos Estrangeiros da UFGD surgiu com o objetivo de facilitar a imersão dos estudantes estrangeiros em nossa cultura local e auxiliá-los nas questões burocráticas e práticas do dia-a-dia. Além disso, o Programa tornou-se uma excelente oportunidade para ampliação do horizonte cultural e aprimoramento linguístico e pessoal de nossos alunos.
 
O Perfil do Aluno Padrinho
 
Basicamente, para ser padrinho ou madrinha, o(a) aluno(a) da UFGD precisa:
 
  1. Ser comunicativo e ter domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira, caso queira apadrinhar alunos de países não lusófonos;
  2. Estar aberto a novas experiências culturais e saber respeitar as diferenças e lidar com situações inusitadas;
  3. Ter um bom relacionamento com as pessoas em geral, ser cordial e responsável.
  4. Conhecer alguns pontos turísticos para visitação em Dourados, bem como o funcionamento do transporte urbano;
  5. conhecer o funcionamento da UFGD.

Para se cadastrar no programa preencha o seguinte formulário de cadastro.

Para mais informações entre em contato diretamente com o ESAI.
Fone: +55 (67) 3410-2747
E-mail: esai@ufgd.edu.br
Horário de Atendimento: 7h às 11h – 13h às 17h, de segunda-feira a sexta-feira 
 



CALENDÁRIO
UFGD - Unidade 1
Rua João Rosa Góes, 1761 - Vila Progresso, Cx. Postal 322 - CEP 79825-070
67 3410-2002

UFGD - Unidade 2
Rodovia Dourados - Itahum, Km 12 - Cidade Universitaria, Cx. Postal 533 - CEP 79804-970
67 3410-2001

Este Sítio Web é acessível via IPv6!